Escolha uma Página

Recentemente ingressei em um curso de auxílio à micro empreendedores que tem por intuito ajudar os mesmos à iniciarem ou aprimorarem o seu negócio próprio, decidi participar pois já faz um tempo que percebi que meu escritório de design poderia ser mais organizado e que por conta dessa falta de organização eu estava perdendo dinheiro.

Decidi então compartilhar esse artigo aqui no blog por acreditar que muitos designers que trabalham ou pretendem trabalhar como freelancers podem estar passando por dificuldades semelhantes.

Como eu costumo dizer nos meus artigos, muitos designers me procuram nas redes sociais e é quase unânime que eles venham me perguntar sobre o trabalho como freelancer e o que é preciso fazer para se manter nesse mercado.

Eu procuro então compartilhar um pouco do que aprendi com a minha experiência porém empreender é uma tarefa nada fácil e que exige muito daquele que decide largar a vida de empregado e se aventurar como o dono de um negócio próprio.

Mas voltando ao curso que estou fazendo, já em minha primeira aula eu pude fazer uma avaliação completa do meu negócio e percebi o quanto eu estava falhando com relação à muitas coisas, porém no artigo de hoje eu gostaria de ressaltar um ponto em particular, falo da gestão financeira do seu negócio.

Quando digo negócio considere que estou me referindo ao meu trabalho como freelancer que afinal de contas segue as mesmas regras de funcionamento de uma empresa afinal de contas o designer freelancer é um prestador de serviços.

Juntamente com esse curso estou fazendo a leitura do livro “Quanto Custa Meu Design” do André Beltrão e tenho aproveitado para por em prática as dicas do livro, aliás eu já fiz um review sobre esse livro e você pode saber um pouco mais sobre ele clicando AQUI.

Web

A lição mais importante que aprendi na primeira semana de aulas foi a importância de saber cuidar sabiamente das finanças do seu negócio, esse aliás era um dos principais pontos fracos do meu negócio já que não costumava fazer um gerenciamento adequado das finanças do meu escritório.

Sendo assim, hoje eu vou deixar aqui com vocês 3 dicas que me ajudaram bastante na hora de organizar e gerenciar as finanças do meu negócio.

1 – Separe as despesas pessoais das despesas da empresa

Essa dica eu acredito que é fundamental para a boa saúde do seu negócio, ou no caso do seu escritório pessoal de design.

Considere seu escritório como algo independente da sua vida pessoal e, portanto, possui suas próprias despesas, contas a pagar, lucros a almejar e investimentos à fazer.

Um grande erro que muitos cometem ao trabalhar como freelancer é receber o dinheiro de um determinado projeto e logo em seguida embolsá-lo como se fosse seu pagamento pessoal sem levar em consideração os custos da empresa.

E se por acaso você acha que sua empresa não tem custos (afinal de contas você só tem um computador e nada mais) você está muito enganado. Entre os custos mais frequentes para designers freelancers estão energia elétrica, internet, impostos, hospedagem do seu portfólio online, materiais, aluguel, etc.

Sendo assim procure listar todos os custos do seu escritório e calcular quanto sua empresa gasta simplesmente para existir, com o tempo você verá como é importante para o seu sucesso como freelancer conhecer esse valor.

2 – Estabeleça um salário para si mesmo

Essa é dica é quase um complemento da anterior, definir um salário para dar a si mesmo é extremamente importante para o sucesso de um negócio.

Falhamos se acreditamos que todo o dinheiro que recebemos de um projeto deve vir direto para o nosso bolso, esse dinheiro deve ir para a conta da empresa e deve ser utilizado para pagar as despesas dela, entre elas o seu próprio salário.

Mesmo que inicialmente você não consiga ter o salário dos seus sonhos ou mesmo que seja suficiente para custear suas despesas básicas é importante que você tenha pelo menos um salário como meta.

Esse salário deve ser maior do que você receberia caso estivesse trabalhando como empregado em uma agência afinal de contas trabalhar como freelancer deve ser algo vantajoso para você.

Para definir qual seria o seu salário ideal é bem simples, faça uma lista com todas as suas despesas, tanto as suas despesas atuais quanto as que você teria para levar uma vida mais confortável, por exemplo, suponha que você deseja futuramente pagar uma pós graduação, o valor aproximado desse custo deve estar incluído em sua lista de despesas.

Ao criar essa lista não se esqueça de definir uma determinada quantia para ser depositada em uma poupança. Depois de listar todas as despesas basta então somá-las e pronto, você terá o valor que seria o seu salário ideal.

Não se preocupe caso esse valor ainda não seja muito alto a ponto de ser aquele salário dos sonhos mas futuramente conforme você for crescendo profissionalmente e sua empresa for gerando cada vez mais lucro então você poderá aumentar proporcionalmente o seu salário.

3 – Utilize planilhas

Um dos meus melhores professores na faculdade de design gráfico disse certa vez para minha turma que nós só iríamos começar a ganhar dinheiro com design quando passássemos a utilizar mais o Excel e menos o Photoshop.

A mensagem contida por trás dessa frase, para mim é muito clara, obter sucesso no trabalho como freelancer envolve muito mais habilidades de gestão do que comumente imaginamos.

Na maioria das vezes acreditamos que nosso sucesso depende muito mais de nossas habilidades técnicas do que qualquer outra coisa, isso quando não nos encontramos no meio da grande maioria que acredita que a maior dificuldade em se trabalhar como freelancer é o mercado do design nacional.

Até pouco tempo atrás ainda não tinha comprovado a eficácia de se trabalhar e organizar o meu negócio através da utilização de planilhar eletrônicas, ou as famosas planilhas do Excel, porém agora posso comprovar a eficácia delas.

Somente depois de organizar todas as áreas do meu negócio em planilhas no Excel que eu consegui otimizar o meu tempo e melhorar drasticamente a gestão financeira do meu escritório.

Foi com as planilhas que passei a ver todas as despesas que tenho para manter meu negócio funcionando, consigo ver quanto foi recebido de cada cliente, quando ainda falta receber, quanto preciso cobrar por cada projeto para que ao final eu tenha lucro e não prejuízo e tudo isso através de poucos cliques.

Eu sei que para muitos de nós o Excel, ou qualquer outro software de planilhas eletrônicas, pode parecer uma coisa um pouco chata, mas se você não está disposto a deixar um pouco de lado o Photoshop e se dedicar à gestão financeira e administrativa do seu negócio então as chances de ter sucesso no trabalho como freelancer diminuirão bastante.

Se esse for o seu caso então é melhor começar a repensar se para você a melhor maneira de trabalhar com design é através do trabalho como freelancer.

banner_confred_para_d01_post

Concluindo

É claro que a gestão financeira do trabalho como freelancer é um assunto que pode ser muito extenso e que vamos aprendendo aos poucos, porém espero que essas dicas possam ajudar aqueles que estão tendo dificuldades em obter sucesso financeiro trabalhando como freelancer.

Espero que esse artigo e essas dicas possam, pelo menos, despertar nosso interesse para o tema e que assim possamos buscar mais conhecimento sobre esse assunto e consequentemente melhorarmos como empreendedores no design.

E se você gostou desse artigo e se ele foi útil de alguma forma para você não se esqueça de curtir e de compartilhá-lo com os seus amigos em suas redes sociais.

E você? Como faz para administrar as finanças do seu trabalho como freelancer? Compartilha sua experiência com a gente aí nos comentários.

Me acompanhe também nas minhas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube. É isso aí pessoal, eu vou ficando por aqui, abraço à todos e até o próximo artigo.

Imagem de capa: Columns of Numbers on Spreadsheet via Corbis