Escolha uma Página

Uma das melhores fontes de referência com certeza é o mundo a nossa volta, isso já foi percebido pelos grandes artistas e criativos de todas as áreas. Dentro do design não é diferente, é extremamente importante estar atento à tudo que acontece a nossa volta para poder de alguma forma encontrar referências criativas para nossos projetos.

Ser um pesquisador deve ser um comportamento natural para os designers, isso por que essa característica é algo inerente ao nosso trabalho de buscar uma solução para um determinado problema, oferecendo alternativas apoiadas no design.

Uma coisa que posso afirmar com toda segurança é que quando buscamos informações e referências nas mais diversas fontes de informação, adquirimos uma melhor capacidade de comunicação e expressão (não apenas no falar mas em todas as formas de comunicação relacionadas ao design) além é claro de permitir que nossos projetos encontrem caminhos incomuns e consequentemente mais criativos.

Sendo assim eu selecionei algumas dicas que me ajudam bastante a melhorar cada vez mais o meu repertório de ideias e caminhos criativos e são elas que vou compartilhar no post de hoje. Confere abaixo:

1 – Observe e colecione

Procure adquirir o hábito de ser observador e principalmente de colecionar qualquer coisa que lhe chame a atenção por algum motivo e que por ventura possa vir a ser uma fonte de inspiração.

Para cada projeto que realizamos sempre procuramos fazer uma pesquisa específica, porém o processo de pesquisa e de observação deve ser constante pois diariamente passamos diante de coisas que podem ser transformadas e utilizadas em nossas criações.

Não importa de que forma você irá fazer isso, se fotografando,  desenhando no seu sketchbook ou caderno de anotações, guardando impressos em uma caixa etc. O importante é observar e colecionar esses elementos criativos que nos cercam e que não estão unicamente na internet.

2 – Leia muitos livros (não somente de design)

A leitura é uma das melhores práticas para incentivar a criatividade, se você não costuma ler livros eu recomendo que comece a rever essa atitude e que procure ler com uma certa regularidade.

Leia. Viaje. Leia. Pergunte. Leia. Aprenda. Leia. Conecte-se. Leia – Erik Spiekermann

Se você já lê livros cujo tema seja o design ou alguma área relacionada isso é muito bom afinal de contas os livros ainda são uma das melhores fontes de informação e aprendizado sobre o design.

Melhor do que ler bastante sobre design é adicionar à sua leitura outros temas não relacionados ao design, lembre-se que os projetos e soluções mais criativas nascem de associações improváveis e para isso é importante observar o mundo através de outras perspectivas.

3 – Esteja aberto a novas experiências

Essa é uma das ações que eu mais procuro aplicar no meu cotidiano como profissional pois vejo que ela é altamente importante, talvez não para ser usada em um projeto imediato mas a longo prazo possui um efeito altamente positivo.

Participar de novas experiências permite que você passe a ver o mundo (pelo menos pequenas partes dele) com outros olhos, as pessoas mais criativas que conheço costumam fazer muitas coisas que estão fora do seu cotidiano.

Para ter uma nova experiência você não precisa viajar como mochileiro para a Tailândia, as novas experiências podem ser coisas simples como provar um prato diferente no restaurante que você frequenta, assistir um filme que você ainda não viu ou simplesmente ir para casa por um caminho diferente.

4 – A experimentação revela possibilidades

Uma frase que gosto sempre de dizer é que para ter bons resultados em um projeto é necessário 1% de inspiração e 99% de transpiração, ou seja, para se obter soluções criativas é necessário muito trabalho e muito “suor”.

Cada boa ideia faz fronteira com as estúpidas – Michel Gondry

Ao desenvolver um projeto não se conforme com a sua primeira ideia e a sua primeira sketch, utilize muito do seu tempo para experimentar novas soluções e buscar novos caminhos, experimente e risque bastante para fazer com que as ideias óbvias deixem logo a sua mente e abram espaço para outras ideias.

Ao fazer isso você perceberá que as boas ideias nascem a partir de uma grande quantidade de ideias ruins ou que não se aplicam ao projeto naquele momento.

Concluindo

As dicas que compartilhei aqui com você são coisas que procurei aplicar ao meu cotidiano profissional e que percebo que fazem diferença no meu modo de criar para cada um dos meus projetos.

Espero que essas mesmas dicas possam ajudar vocês também a desenvolver pequenas práticas que melhorem a maneira de raciocinar no momento de criar.

Participe você também desse post respondendo nos comentários: o que você costuma fazer para melhorar o seu repertório criativo?

Para escrever esse artigo eu utilizei como referência bibliográfica o livro Curso de Design Gráfico – Princípios e Práticas dos autores David Dabner, Sandra Stewart e Eric Zempol.

Se você gostou desse artigo ou se ele te ajudou de alguma forma não se esqueça de curtir e de compartilhar nas suas redes sociais.

E você já sabe que se quiser acompanhar o meu trabalho mais de perto você pode fazer isso através das minhas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube. E logo aí abaixo você pode ver alguns dos meus projetos no Behance, me acompanha lá também. Valeu pessoal, um grande abraço e até o próximo post.