Escolha uma Página

Talvez o grande desafio do designer é sair do campo das ideias óbvias e encontrar uma solução criativa e original para cada projeto. Nesse artigo vou ensinar um método, ou uma linguagem, que auxilia no encontro de ideias criativas.

Um dos temas que mais gosto de abordar sobre design é sobre criatividade e técnicas de projeto. É a técnica que nos separa de qualquer pessoa que sabe apenas usar o photoshop para fazer coisas legais no computador.

Muitas pessoas tem a falsa ideia de que a criatividade é fruto de inspiração, fazendo as vezes parecer que ela é algo inato, ou seja, você nasce ou não com criatividade. Isso não é verdade, a criatividade pode ser aprendida e desenvolvida por qualquer pessoa que se comprometa a prender.

Quando você está conversando com o cliente e ele está lhe passando o briefing do projeto o seu cérebro começa a montar e visualizar ideias sobre como poderia ser desenvolvido aquele projeto. Isso é normal e é quase um reflexo de quem trabalha com projetos.

Porém essas primeiras ideias são as mais óbvias pois são aquelas que representam aquilo que você está mais habituado a ver em termos de projeto, porém as ideias criativas não são encontradas nessa etapa.

Mas nesse momento você pode estar dizendo: “Ah! mas eu já fiz um projeto baseado na minha primeira ideia e ele deu super certo.”

Quando eu disse que as ideias criativas não estão nessa etapa eu não disse que ideias boas não podem ser tiradas dessa etapa. Você pode encontrar boas ideias nessa fase da criação, porém essas são as ideias “batidas“, comuns, aquelas que as pessoas olham como qualquer outra, não impressionam mas funcionam.

Quer um exemplo? Você com certeza já leu ou escutou essa frase em algum lugar: “O aniversário é nosso mas quem ganha o presente é você” Percebe? Essa é uma ideia que funciona, mas que não é inovadora, não tem criatividade e não chama  a atenção.

Quer mais um exemplo? Um exemplo clássico: como são os comerciais de margarina? Tenho certeza que você imaginou um cenário de café da manhã bem bonito e organizado com uma família feliz comendo torradas com margarina. Como eu já disse, isso é o comum que dá certo, porém não tem nada de inovador.

Essa com certeza deve ser a imagem mental que você tem de um comercial de margarina.

Agora vejamos um exemplo de inovação. Recentemente a Head e Shoulders lançou o seu novo comercial e dessa vez trouxeram Joel Santana com o seu bom e velho “inglês“, o comercial é um dos grandes sucessos da propaganda atual, e porque isso aconteceu? a resposta é simples, eles simplesmente saíram do campo das ideias óbvias.

No caso do comercial de shampoo o comum seria utilizar um infográfico mostrando o couro cabeludo e como o produto age na limpeza dos cabelos ou utilizar uma modelo com cabelos lisos e bem brilhantes, existem centenas de comerciais de shampoo assim e que passam despercebidos diante do público.

Um comercial de shampoo clichê normalmente é assim.

Esse é um exemplo claro de inovação através de uma associação simples onde se utilizaram do Joel Santana, que não fala bem inglês, para ensinar o público a pronunciar o nome do shampoo. Isso é criatividade e inovação.

Então como se chega a um resultado como esse do comercial do shampoo? O processo é simples e eu vou explicar cada passo.

Antes de começar é importante que o público alvo já tenha sido definido pois isso vai ajudar na hora da escolha do caminho criativo, caso você ainda não tenha definido o público alvo recomendo que faça isso antes da primeira etapa, vale a pena dar uma lida nesse artigo que escrevi falando sobre público alvo e como transmitir a mensagem de forma eficiente.

O primeiro passo é criar um mind map que nada mais é do que montar um quadro de temas a partir do tema principal. Antes que você vá lá nos comentários dizendo que o nome disso é “brainstorm“ eu explico a diferença.

No “brainstorm“ você coloca sobre a mesa todas as ideias que vem a mente de imediato, normalmente são colocadas ideias ou caminhos semi elaborados, de forma mais simples, no “brainstorm“ geralmente os participantes falam assim:  “e se fizéssemos com essas cores?“, “poderíamos também aumentar a fonte do título“, e assim esse tipo de ideia vai sendo jogado sobre a mesa sem nenhum filtro e nem mostrando como as ideias se relacionam.

Já no mind map você precisa partir de um tema, vamos supor que você vai projetar um anuncio de uma loja de vestidos de noiva, a partir disso você vai definir o tema central, ou seja, casamento. Em seguida você vai colocar isso escrito em uma folha de papel.

Depois de escrever o tema principal no centro da folha você vai colocar acima ou próximo dele o nome de algo que o tema casamento lembra e liga-los com uma linha, veja como ficou na imagem abaixo.

Ficou mais fácil de entender o que é um mind map? A partir de agora você vai colocar na folha todas as coisas que te lembram a partir do tema casamento mesmo aquilo que não está explicitamente ligado ao tema ou mesmo que não seja comum vermos em um anuncio de loja de vestidos de noiva. Acompanhe na nossa imagem de referência algumas das associações que poderiam ser feitas.

Depois de criado o mind map você já vai ter uma série de caminhos que podem ser seguidos, perceba que diferente do brainstorm é possível ver no mind map de onde vem cada associação, depois de criar o mind map você deve então esboçar suas ideias seguindo as possíveis associações, por exemplo, criar um cartaz de uma loja de vestidos de noiva partindo do tema “casamento e lua de mel”, depois “casamento e sogra”, depois “casamento e noiva e atraso” e assim por diante.

A ideia do mind map é que você desenvolva propostas para cada um dos temas encontrados e das possíveis associações entre eles. Vale fazer uma nova pesquisa buscando novas ideias baseadas nas associações novas que você pensou.

Agora vá para o local onde você costuma projetar, pegue folhas de papel e caneta. Comece a colocar no papel todas as ideias que vierem a sua cabeça relacionadas as ligações que você fez, quando digo colocar no papel estou dizendo para desenhar mesmo, esboçar, rafear as ideias fazer anotações sobre a ideia e assim por diante.

Quando estiver nessa etapa você provavelmente conseguirá ter boas ideias mas ainda assim são as primeiras ideias, aquelas mais óbvias e meu conselho para você é: não se apaixone por elas.

Chegará o momento em que você estará com a mente cansada de ter ideias e ficar pensando em projeto e seu cérebro vai travar não conseguindo apontar nenhuma nova ideia, é nessa hora em que você deve dar um tempo do projeto. Vá fazer outra coisa, ver um filme, sair com a namorada, praticar um esporte, qualquer coisa, mas deixe a sua mente descansar.

Durante esse período em que você se afasta do projeto, inconscientemente seu cérebro continua trabalhando para encontrar uma solução criativa para aquele projeto.

Depois de descansar por pelo menos 24 horas, volte para a mesa de desenhos e comece a pensar em novas ideias. Busque trabalhar essas ideias baseado nas ligações dos temas que você encontrou no mind map.

Você vai perceber que sua mente está com ideias novas e que você pode prosseguir daqui pra frente esboçando novas ideias e associações até seu cérebro travar novamente. Prossiga repetindo essa sequência de projetar e descansar, projetar e descansar, até conseguir um resultado criativo e inovador ou pelo menos que seja diferente do que você já fez até então.

Espero que esse artigo tenha ajudado você a aprender um pouco sobre teoria de projeto e que consiga aplicar essa metodologia em seus projetos, se ficou com alguma dúvida entre em contato pois terei o maior prazer em ajudar, tem algum comentário? Então compartilha com a gente, abraço e até o próximo post.