Escolha uma Página

Com o avanço das tecnologias de computação o design gráfico evoluiu bastante facilitando processos e permitindo a criação de vários efeitos que antes eram quase inimagináveis. Mas será que a maioria dos designers é deficiente em desenho devido a facilidade proporcionada pelos computadores e softwares?


Nos primórdios do design gráfico saber desenhar era quase que obrigatório, não existiam computadores e tablets e nem um desses fantásticos equipamentos que tanto facilitam nossa vida, sendo assim o artista gráfico devia ser completo, tanto em técnica de representação quanto em criatividade e conhecimento.

Na segunda metade do século 19 o design gráfico passa por um marco com o surgimento dos cartazes, eles já existiam antes dessa época porém foi nesse período que ele passou a ser visto como uma peça de publicidade. Essa técnica teve destaque para alguns dos primeiros artistas gráficos da história como Jules Cherret, Touluse loutrec, Alphonse Mucha, entre outros.

Cartaz de Jules Cheret

Esses precursores do design gráfico moderno se destacam por seus incríveis projetos gráficos com cartazes utilizando o desenho a mão livre e técnicas de pintura. Muito antes das atuais propagandas de cerveja utilizando belas mulheres Jules Cherret já se utilizava da beleza feminina em seus cartazes que eram muito marcados pelas cores vermelho, azul e amarelo além da figura feminina em uma composição que desafiava as leis da física.

Nesse período em que eles viveram o designer precisava saber desenhar, afinal de contas para você criar um cartaz e inserir nele um texto você com certeza teria que fazer isso a mão, não era simplesmente selecionar um menu no computador e ajustar aquela fonte conforme a sua idéia.

Isso só mostra que o advento dessas novas tecnologias tornou possível que uma pessoa que não tenha a mínima aptidão para desenho ainda assim consiga produzir uma obra de design se utilizando da ajuda de algum software específico.

Em minha opinião o abandono da habilidade com desenho por parte dos profissionais de design gráfico colaborou para o surgimento dos chamados “micreiros” que são aquelas pessoas que não são designers mas simplesmente sabem utilizar um programa de computador e se utilizam de edição de imagens para produzir uma peça gráfica.

 Não estou dizendo para abandonarmos os computadores e passarmos a fazer todos os projetos gráficos desenhando tudo a mão como antigamente, seria uma idiotice além de um retrocesso no design, mas eu realmente acredito que os designers que sabem desenhar e utilizar outras técnicas de expressão e colorização que não seja pura e simplesmente com auxílio de computador possuem uma vantagem na qualidade de seus projetos.

É claro que isso é relativo e existem exceções, muitos profissionais produzem projetos excelentes e não conseguem fazer nada além de rabiscos ou até mesmo aqueles bonequinhos de palito (e as vezes nem isso), assim como tem muitos profissionais que sabem desenhar mas que não produzem projetos excepcionais.

Acredito que o ideal é encontrar um equilíbrio entre as técnicas de expressão a mão livre, como o desenho e pintura, e as técnicas com uso de tecnologia como softwares e demais equipamentos. Dessa forma o designer pode conseguir trabalhos cada vez mais originais e com uma identidade mais marcante.

Agora é a sua vez, compartilha com a gente aqui nos comentários qual a sua opinião sobre o assunto, você acha que saber desenhar ainda é fundamental para um designer moderno?