Escolha uma Página

Nos primórdios de nossa profissão dominar as técnicas de desenho e representação artística era algo obrigatório, hoje em dia porém com o avanço tecnológico esse cenário acabou mudando um pouco. Mas saber desenhar a mão faz alguma diferença em minha formação como designer?

A muito tempo encontro em blogs e sites pela internet artigos que levantam essa questão, eu porém nunca expressei a minha opinião sobre esse assunto, pelo menos não através de um artigo dedicado exclusivamente a esse assunto.

Porém acredito que não há fase melhor na minha vida para fazer isso uma vez que estou focando o meu trabalho no design gráfico utilizando ilustrações e outras técnicas a mão livre ao mesmo tempo em que preparo um curso de desenho voltado para designers e profissionais de áreas afins.

Uma quantidade significativa de e-mails que recebo no meu blog pessoal é justamente perguntando se para cursar design o aluno precisa saber desenhar. Esse assunto já se mostrou então como sendo uma das principais dores de cabeça de aspirantes a designer e até mesmo profissionais.

Young Boy Coloring

No ambiente acadêmico a coisa não é diferente, muitos alunos se julgam sem aptidão para o design justamente por não possuirem habilidades de desenho a mão livre. O desespero desses estudantes só aumenta à medida em que percebem que existem outros alunos em suas turmas que se destacam por terem um grande talento para desenho, pintura etc.

Todos os professores que conheci até hoje, principalmente aqueles que vem de uma escola mais tradicional no design, são unânimes em dizer que é obrigatório para um designer saber representar seus projetos e ideias através de desenhos e scketchs.

Eles pensam dessa forma por terem sua formação iniciada em uma época onde os softwares de design que temos hoje nem existiam ou não eram tão utilizados, são de uma época onde saber desenhar era requisito obrigatório para ser chamado de designer.

Na atualidade porém com as novas tecnologias de computação gráfica saber desenhar à mão parece ser algo que aos poucos foi sendo deixado de lado em especial por estudantes que viram nessas tecnologias uma forma de adentrar no universo do design sem ter que saber desenhar muito bem, em alguns casos sem ter que saber desenhar nada.

É justamente nesse ponto que surge o principal “vilão” de nossa profissão: o micreiro. Em parte a culpa do surgimento desse personágem é nossa, de todos nós que fugimos do desenho à mão livre com a desculpa de que design é mais do que um belo desenho e blá blá blá, mas isso já é assunto pra um outro artigo.

Sei que é difícil para muitos designers aceitarem isso mas todo designer precisa saber desenhar, se não fosse necessário não existiriam disciplinas na grade curricular dos cursos de design que visam o aprendizado e desenvolvimento de habilidades de desenho e representação gráfica.

Teenage (16-17) girl drawing in sketch book

A grande realidade de nossa profissão é que muitos “profissionais” se escondem atrás dos recursos da computação para fazer seus trabalhos e nem sequer esboçaram uma única linha de seu projeto no papel e depois quando o cliente olha e diz que tem um sobrinho que pode fazer aquilo o designer tem um “chilique”.

Eu sei o que você vai dizer: “ah mas tem muito designer que é muito bom e não sabe desenhar!”. Pode até ser, embora eu não acredite, que existam bons profissionais que não sabem desenhar nadinha, porém esses são os que acabam por cair na massa de profissionais de criação que utilizam apenas suas habilidades em software para representar seus projetos, você quer estar entre esses?

Cada vez mais percebo que é preciso diferenciar o seu trabalho dos demais profissionais que estão espalhados por aí e as habilidades com desenho são uma excelente ferramenta para que você consiga se destacar de todos os outros concorrentes que podem fazer um trabalho semelhante e até melhor que o seu.

É verdade que você pode ser um bom profissional sem necessariamente saber desenhar, ainda mais hoje em dia com tantos recursos tecnológicos espalhados por aí, porém será preciso ainda mais esforço para elevar o seu trabalho a um alto padrão de qualidade para que possa se destacar dos demais.

Meu conselho a todos é que paremos de fugir do desenho à mão livre e passemos a praticar, estudar e utilizar essa habilidade na elaboração de nossos projetos e entendamos de uma vez por todas que software é ferramenta de finalização e não de criação.

Espero que tenham gostado do artigo e espero que ninguém tenha ficado magoado com o que eu disse, não esqueça que esse artigo reflete apenas a minha opinião sobre o assunto e não é uma verdade absoluta afinal de contas eu não sou o dono da verdade.

Você tem uma opinião diferente sobre esse tema? Então compartilha com a gente aí nos comentários. Um abraço e até o próximo post.